Mulheres se unem para combater estigma da Aids

Um grupo de 19 mulheres do Rio Grande do Sul, de Santa Catarina e do Paraná, portadoras do vírus HIV, iniciaram ontem na Capital a 6ª Oficina do Projeto Saber para Reagir em Língua Portuguesa. A proposta do encontro, que vai até sexta-feira, é fortalecer o ativismo e o controle social das políticas públicas, para combater as desigualdades e ampliar o acesso de mulheres com Aids a serviços de prevenção, tratamento e apoio em países onde a língua oficial é o português. A importância de reunir mulheres que vivem na região Sul do País é explicada pela alta incidência da doença nos três estados. De acordo com dados divulgados no ano passado pelo Ministério da Saúde, o Rio Grande do Sul é o estado com o maior índice de casos de Aids no Brasil, enquanto Porto Alegre é a capital com a pior estatística. O Estado lidera o ranking de incidência do vírus por 100 mil habitantes, com 27,7 casos. A Capital apresenta 99,8 casos a cada 100 mil pessoas

Nenhum comentário:

Postar um comentário