Novos casos de Aids em idosos crescem 26% em dez anos

Enquanto em 2001 foram 253 novos casos, em 2011 foram 318. Médica afirma que mudança comportamental influenciou resultado. A incidência da Aids em idosos aumentou 26% entre 2001 e 2011, segundo levantamento da Secretaria Estadual da Saúde de São Paulo. Enquanto em 2001 foram registrados 253 novos casos, em 2011 foram 318. O aumento contrasta com a diminuição de novos casos entre mais jovens. Entre pessoas com idade de 15 a 39 anos, em 2001 foram 6.669 novos casos, contra 4.338 em 2011. De acordo com o Centro de Referência e Treinamento (CRT/Aids), a maioria dos novos casos de idosos com Aids é heterossexual. Antes de 2007, a proporção de infecção era de dois homens para uma mulher. Entretanto, após 2008, tornou-se um homem para uma mulher infectada com a doença. “Estudos apontam que o diagnóstico tardio pode acontecer por puro preconceito social em relação ao sexo”, afirma Carmen Silvia, médica do CRT DST/Aids. Segundo ela, mudanças comportamentais ajudam a explicar esse aumento, como o aumento da atividade sexual em pessoas de faixas etárias mais elevadas. A Secretaria da Saúde informa que realiza ações de prevenção. O Instituto Paulista de Geriatria e Gerontologia (IPGG), centro de referência ao idoso localizado em São Miguel Paulista, por exemplo, distribui preservativos em bailes de idosos realizados no local.

Nenhum comentário:

Postar um comentário