Pastoral da Aids Ajuda aos Portadores HIV em Cabo Frio/RJ




Em Cabo Frio algumas instituições religiosas amparam aos soropositivos. Os esforços para desmistificar os riscos de contágio pelo HIV, entre outras questões que envolvem o tema, têm surtido efeito, mas precisam continuar fortes. Na igreja católica funciona a Pastoral da Aids que, em Cabo Frio, atende 60 pessoas portadoras do vírus HIV.


os agentes fazem visitas domiciliares reintegrando os portadores que deixam de participar por depressão, tentamos resgatá-los para as nossas atividades”, informa o atual coordenador da pastoral, o enfermeiro Gustavo Borges de Oliveira. Os agentes voluntários e os assistidos se reúnem mensalmente para a realização de palestras relativas à saúde e à espiritualidade. Nessas reuniões é possível verificar como cada um desses portadores está lidando com a doença. Além desses encontros, os agentes da Pastoral se revezam todas as segundas-feiras no Hospital Dia, onde é feita a coleta regular de sangue dos assistidos. No local, às 6h, a Pastoral oferece um café da manhã, sempre com a presença da Irmã Silvana, da Congregação das Irmãs Franciscanas do Sagrado Coração de Jesus. “Nesses dias de coleta também é comum acontecer o ‘primeiro teste’ ou ‘teste rápido’, pelo qual a doença é diagnosticada e o resultado é dado na primeira hora. Nessas ocasiões, é essencial a presença dos agentes da Pastoral, que dão assistência àqueles que recebem a notícia de que são soropositivos”.

As reuniões com os assistidos são realizadas no segundo sábado do mês, às 14h. E os encontros dos agentes voluntários, que era mensal, a partir de janeiro passarão a acontecer duas vezes por mês, às segundas-feiras, sendo um para tratar dos assuntos específicos da Pastoral e o outro destinado à educação continuada dos agentes. Todos esses encontros são realizados na antiga casa paroquial.

A pastoral faz doação de roupas, calçados e acessórios àqueles que apresentarem essa necessidade. Isso acontece às quintas-feiras, às 14h, também na antiga casa paroquial. É importante lembrar que, independente da religião da pessoa, ela é bem vinda. Quem estiver interessado em participar da pastoral, como assistido ou como agente voluntário, deve procurar a Secretaria Paroquial (tetefone 2643-0082). Para se tornar um agente voluntário é necessário fazer um curso de capacitação, que é ministrado pelo Vicariato ou pela Arquidiocese. A realização deste treinamento está prevista para o início de 2011.

A 1ª Igreja Batista de São Cristóvão atende, uma vez por mês, o Lar Esperança com serviços de manutenção dos computadores. “Fazemos esse trabalho há oito anos, além de apoio espiritual. Alguns moradores são fiéis da nossa igreja”, afirma o pastor Artur de Azevedo Costa. Segundo ele, outras igrejas têm núcleos que dão assistência aos soropositivos, como a Metodista central e a do Braga (que fica na mesma rua do Lar Esperança), além da Igreja Universal do Reino de Deus.

A Casa Espírita René Pessa, que participou da Ação Global na Praça Porto Rocha, junto do Lar Esperança, na última quarta-feira (1º de dezembro), atende pessoas portadoras do vírus HIV. As atividades se iniciaram em 1996, quando a casa foi aberta e hoje conta com 30 famílias cadastradas. “Doamos uma cesta básica por mês, temos artesanato, terapia individual e em grupo. Buscamos sempre levantar a auto-estima das pessoas. De 15 em 15 dias disponibilizamos uma advo-gada para mostrar os direitos que eles têm, mas ainda não conhecem”, informa a dirigente Nilce Andrade Oliveira. Às terças-feiras, entre 8h e 15h, acontecem as atividades. A casa também aceita pessoas de todas as religiões. “Falamos sempre de Jesus, que está presente em quase todas as crenças”, diz Nilce. A fonte de renda é o bazar beneficente, onde se pode encontrar as peças feitas pelos assistidos, entre outras coisas. O funcionamento é entre 9h e 12h, às segundas, quartas e sextas-feiras.

Nenhum comentário:

Postar um comentário